Como funciona a pesquisa do Google (e como aparecer nela)

Como funciona a pesquisa do Google (e como aparecer nela)

Se você tem interesse em saber como funciona a pesquisa do Google, isso pode ser mais que uma simples curiosidade. Talvez você queira entender como esse mecanismo tão inteligente funciona para que o seu negócio possa aparecer e se destacar nele. E isso pode ser conseguido, claro, através do conhecimento.

Vamos começar conhecendo alguns números impressionantes do mecanismo de pesquisa mais incrível do mundo, segundo a Internet Live Stats:

  • O Google responde a 92.770 buscas por segundo em todo o mundo, ou cerca de 1,3 trilhão de pesquisas por ano;
  • Em 1999, o Google levou um mês para rastrear e construir um índice com cerca de 50 milhões de páginas. Em 2012, a mesma tarefa foi realizada em menos de um minuto;
  • 16% a 20% das consultas que são feitas todos os dias nunca foram feitas antes, ou seja, o mecanismo está constantemente aprendendo e se aperfeiçoando;
  • Cada consulta tem que viajar em média 2,5 mil quilômetros até um data center e voltar para retornar a resposta ao usuário. Isso acontece em frações de segundo;
  • Numa única pesquisa do Google, são usados 1.000 computadores em 0,2 segundos para trazer uma resposta;
  • Desde a sua fundação, em 1998, o Google já indexou mais de 60 trilhões de sites.

Quem trabalha diariamente para colocar um negócio nos primeiros resultados da pesquisa do Google sabe o quanto esse cenário é dinâmico. Por isso ele pode ser emocionante, fazendo com que cada pequena conquista seja comemorada.

Como num jogo de Xadrez, é preciso conhecer muito bem as peças e os movimentos que elas fazem no tabuleiro para conquistar o primeiro lugar nas buscas. Entendendo o funcionamento do mecanismo de pesquisas, é possível chegar nas melhores posições mesmo quando a concorrência é grande e tão conhecedora das técnicas quanto você.

Como funciona a pesquisa do Google na prática?

Bons observadores notaram que, recentemente, ao abrir o navegador da internet para realizar uma pesquisa no Google, um link discreto poderia ser visto no rodapé da página. O link dizia ‘como funciona a pesquisa Google‘ e levaria para uma página de conteúdo em textos, imagens e vídeos explicando o funcionamento desse mecanismo. Se você ainda não viu essa página, a gente explica tudo por aqui. Vamos lá:

Para cada pesquisa que você faz, podem existir milhões de páginas da Web com informações úteis para responder às suas buscas. Mas o que faz com que o Google priorize algumas delas?  Justamente o compromisso que o mecanismo tem de oferecer as melhores informações pra você.

Ou seja, nesse ponto já é possível perceber que o Google não tem preferência ou compromisso com nenhum site. O compromisso do Google é com o usuário DELE. Se o seu conteúdo for considerado bom, o algoritmo vai entender que o seu site merece aparecer nas primeiras posições para as buscas do usuário dele.

Mas para entregar as melhores informações e respostas, antes mesmo de você realizar uma pesquisa o Google já indexou e catalogou milhares ou milhões de páginas da Web para criar o índice de pesquisa. Este índice é como uma imensa biblioteca, que contém as informações de todas as bibliotecas do mundo. Incrível mesmo…

Como o Google entrega resultados relevantes para você

A organização de centenas de bilhões de páginas é feita em uma fração de segundo pelos algoritmos da Pesquisa do Google. Com isso, esses algoritmos fornecem os resultados mais úteis sobre o que você está procurando.

Esses resultados são apresentados de diferentes formas, para que você possa encontrar mais rapidamente aquilo que estava procurando. Eles podem aparecer nos seguintes formatos:

  • Mapas e rotas;
  • Vídeos;
  • Artigos ou matérias;
  • Imagens;
  • E outros.

Ou seja, se você digitar um endereço na barra de pesquisa, provavelmente receberá como resposta um mapa e uma rota para chegar até o local que pesquisou. Isso acontece porque o algoritmo de pesquisa do Google entende que esta é a resposta mais rápida e relevante para você naquele momento.

Se digitar o nome de um produto, possivelmente verá dezenas de opções de compra desse produto no Google Shopping. Se pesquisar pela imagem de uma planta no Google Lens do seu smartphone, descobrirá o nome dessa planta, onde adquiri-la e como cuidar dela.

Aprimoramento constante para oferecer sempre a melhor experiência

Ainda assim, com toda essa tecnologia que já conhecemos, os engenheiros do Google testam a pesquisa diariamente, realizam experimentos e ajustes todos os anos para garantir a melhor experiência para seus usuários. Por esse motivo, quem trabalha com a indexação de sites e negócios no Google nunca pode parar de se atualizar também.

É fato que a pesquisa do Google mudou ao longo dos anos para acompanhar a evolução das expectativas dos seus usuários. O Mapa de informações é uma dessas inovações, sem falar nas constantes atualizações de algoritmos de classificação para garantir um lugar de destaque para os conteúdos relevantes.

Para você ter uma ideia, em 2018 foram coletados milhares de dados com o intuito de garantir melhorias inteligentes. Veja alguns tópicos:

Realizados 383.605 testes de qualidade da pesquisa

Nos testes, os avaliadores verificaram a capacidade dos websites de fornecerem os resultados desejados aos usuários que os acessam. Isso incluiu a qualidade dos resultados com base na informação, correção e confiabilidade do conteúdo.

Essas avaliações são constantes e têm o objetivo de garantir um alto padrão para os usuários da Pesquisa Google no mundo todo. Por isso, websites fora desse padrão acabam ‘sumindo’ dos resultados das pesquisas.

Realizados 62.937 experimentos lado a lado

Você já deve ter notado que a página de resultado das pesquisas muda constantemente. Uma hora, aparecem vídeos no lado direito, noutra hora, aparecem respostas em formato de imagem. Isso tudo faz parte dos experimentos lado a lado.

Em experimentos lado a lado, os avaliadores veem dois conjuntos diferentes de resultados da pesquisa, um com a alteração proposta já implementada e outro sem a alteração. Esses avaliadores respondem uma pesquisa sobre quais os resultados que preferem e o porquê.

Realizados 17.523 experimentos de tráfego ao vivo

Além dos testes de qualidade da Pesquisa, os experimentos de tráfego ao vivo foram realizados para observar como os usuários reais interagem com os recursos antes de lançá-los para o público em geral. Cada recurso novo é lançado apenas para cerca de 0,1% dos usuários reais.

Uma lista extensa de métricas é avaliada, como onde as pessoas clicaram, quantas consultas foram realizadas, quantas foram abandonadas, quanto tempo os usuários levaram para clicar em um resultado e assim por diante. Esses resultados determinam se o engajamento do usuário com o novo recurso é positivo e garante que as alterações melhorem a utilidade da pesquisa do Google para todo mundo.

Rastreamento do Google: como funciona

Como mencionamos acima, antes de você pesquisar os rastreadores da Web já coletaram e catalogaram informações de centenas de bilhões de páginas.

O processo de rastreamento começa com uma lista de endereços da Web de rastreamentos anteriores e sitemaps fornecidos pelos proprietários dos sites.

Quando os rastreadores do Google acessam esses sites, os links deles são usados para encontrar outras páginas, principalmente nos sites novos e nas alterações de sites existentes. Programas de computador são utilizados para determinar quais sites serão rastreados, com que frequência e quantas páginas de cada site.

Informações detalhadas sobre esse trabalho dos rastreadores no seu site podem ser encontradas no Google Search Console. É muito importante ter uma conta nessa ferramenta para entender como estão os resultados do seu site pelos olhos do Google, como também para solicitar novo rastreamento ou desativar esse processo através de um arquivo chamado “robots.txt”.

O Google não aceita pagamentos para rastrear sites com mais frequência. Ou seja, as mesmas ferramentas são oferecidas para todos, a fim de garantir os melhores resultados possíveis para os usuários do Google.

Como funciona a indexação do Google

Quando os rastreadores do Google encontram uma página da Web, os sistemas processam todo o conteúdo da página e detectam sinais importantes, como as palavras-chave e a idade do conteúdo do site. Isso fica registrado no índice da Pesquisa.

O índice da Pesquisa Google é como se fosse o índice remissivo de livros e possui uma entrada para cada palavra vista em todas as páginas da Web que foram indexadas. Ele tem mais de cem milhões de gigabytes de tamanho, com centenas de bilhões de páginas da Web indexadas. Sempre que uma página da Web é encontrada, ela é adicionada às entradas de todas as palavras-chave que ela contém. Se você possui um site, as páginas dele estão nesse índice.

Veja também:

Como aparecer na pesquisa do Google?

Finalmente chegamos à parte que provavelmente você esperava: como aparecer na pesquisa do Google. Pois bem, dizer que isso é muito difícil não seria verdade. Como você viu lá no começo do artigo, com conhecimento de como funciona esse mecanismo, essa tarefa é totalmente possível.

A primeira questão que você precisa ter em mente é que o conteúdo é rei. Essa expressão não é nova, mas vale como lembrança, afinal você pôde entender que o Google não está preocupado com o seu site existir ou não, ser bom ou não. A preocupação do Google é com o usuário DELE, lembra?

Isso porque todo o trabalho e investimento dessa ferramenta tem o objetivo de garantir a melhor experiência para o usuário dele. Tanto que ele costuma dizer “preocupe-se com a qualidade do seu conteúdo e deixe que nós fazemos o resto”.

Levando em conta esse fator, basicamente o que você precisa fazer para começar a aparecer na pesquisa do Google é:

  • Ter um conteúdo de qualidade e realmente relevante para o seu público-alvo (Entregue o que promete);
  • Faça SEO On-page (Otimização para motores de busca) – Descubra quais são as palavras-chave que seu público está pesquisando e insira-as naturalmente no seu conteúdo. Mas lembre que excessos poderão ser punidos com desclassificação no índice da pesquisa;
  • Não descuide da experiência do seu usuário (Evite excessos de janelas pop-up, janelas de chat, notificações push e tudo o que atrapalhe a navegação. Cada vez que um usuário deixa seu site nos primeiros segundos, isso é um sinal para os algoritmos de que a experiência dele não foi boa ali dentro);
  • Crie uma propriedade no Google Search Console e acompanhe a evolução do seu site ou resolva problemas de indexação sempre que necessário.

Basicamente é isso! Esperamos que este conteúdo tenha auxiliado você a entender melhor como funciona a pesquisa do Google e o que fazer para aparecer nela.

Se ficou com alguma dúvida, deixe um comentário. Se precisar de ajuda com indexação do seu site ou negócio na web para gerar mais tráfego qualificado, entre em contato conosco.

 

Agende uma consultoria

Se você tem dúvidas sobre o desenvolvimento do seu negócio para alavancar resultados no digital, entre em contato.

Este post tem um comentário

Deixe um comentário